terça-feira, 4 de novembro de 2008

Lindo poema!





Não resisti e "postei" aqui este poema belíssimo, para que os meus amigos leitores se deleitem ao lê-lo. Bom proveito!



O POEMA da 'MENTE'


Há um primeiro-ministro que mente,


Mente de corpo e alma, completa/mente.


E mente de maneira tão pungente


Que a gente acha que ele, mente sincera/mente,


Mas que mente, sobretudo, impune/mente...


Indecente/mente.


E mente tão nacional/mente,


Que acha que mentindo história afora,


Nos vai enganar eterna/mente.


Recebido via email.

4 comentários:

M@ryan_K disse...

LOOL a minha mente está confusa.. :P

sandro disse...

Vê lá se ainda te vai aparecer alguem a dizer: "Acho que a menina num debía de falar mali do cheu paíje e du cheu prumeiro mínistru...jeje"

Thunder disse...

E nós, apesar de furiosa/mente,
temos de aguentar triste/mente
o declínio desta profissão de docente,
a que eles pretendem tornar indecente!

bjs

starxandra disse...

Ah...e a senhora ministra da educação? Essa é que faz uma boa dupla com o nosso ministro...até que parecem a Bonnie e o Clyde!
Haja paciência para aturar este degredo em que está o país!

Kiss!